Saber bem viver

5-soluções-para-5-dificuldades-do-escritor.jpgEstá feito. A partir de aqui o meu centro nervoso comandará os meus dedos para deambularem sobre o teclado. Quero partilhar convosco os meus desabafos, as minhas rotinas, os meus medos, mas sobretudo partilhar o que me faz feliz, e o porquê. Não sou feliz porque sim. Nada existe sem uma causa, e eu tenho as minhas.

Nem só a nascença e a morte nos tornam iguais. Para além destes dois, há muito mais a unir-nos. Todos somos ser pensantes (uns mais que outros) e certamente que há pensamentos que nos conectarão.

Para procedermos esta espécie de simbiose digital, nada melhor que saberem quem vos escreve, e porquê. Catalogaram-me como Manuel Gonzalez, estou a tirar uma licenciatura em Psicologia, faz amanhã dois anos que atingi a maioridade e sou feliz comigo, com os outros e com a vida. – Os 3 vértices fundamentais para “saber bem viver”. Não se cria um blog sem clichés, portanto, se lerem alguns não se admirem. Os clichés existem, e são tão reais como eu.

Estou a atravessar uma fase mais boémia da minha vida, mas penso que tudo é saudável, se for feito com moderação. Sempre fui muito acarinhado pelos meus pais, e ter conseguido convencê-los a deixarem-me vir estudar para fora foi uma luta, mas está a valer a pena.

Sairmos da nossa zona de conforto traz-nos aprendizagens inexplicáveis. Eu saí da minha e estou a adorar…quase tudo. Uma das coisas que me está a custar, é ter de ativar o modo “dono do lar”. É esse modo que também me vai tirar tempo para escrever mais vezes. Agora que comecei, não vou querer outra coisa. Mas como digo, tudo deve ser feito com moderação… até a escrita. Caso contrário cansa. Vêm? Se calhar até tenho razão.

Nada se obtém sem esforços, e eu estou a fazer os meus. Não tenho a minha mãe para me acordar, não tenho a minha mãe para me preparar o pequeno-almoço, nem o almoço, nem o lanche nem o jantar… Não tenho a minha mãe para me preparar a roupa, para a lavar, para a passar a ferro. Mas sabem o que tenho? Um outro eu que desconhecia.

E o melhor desta experiência está a ser isso, conhecer-me melhor para reconhecer o valor dos outros. Neste caso reconheci o da minha mãe. Não deveria de ser preciso este tipo de situação para reconhecer o valor de alguém tão importante para mim, mas quando nos habituamos a algo o seu valor vai baixando com o passar do tempo e às vezes precisamos de mudanças repentinas para reconhecer valores que as pessoas tinham, nós é que ficávamos “cegos”.

Hoje deixo-vos uma recomendação: esta série inquieta-me. Sei o que sou, mas até que ponto é que posso ajudar e ser mais prestável para os outros? 13 Reasons Why tem mexido bastante comigo, e aconselho-vos a ver. Hoje fico por aqui.

Em breve terão notícias minhas, onde explicarei o meu sentido sobre a expressão PAN PAN VINO VINO. See you!

Um comentário em “Saber bem viver

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s